Newsletter
Receba nossos artigos diretamente no seu email.
Nome
Email
Cadastro manual: Entre em contato
 




 
 
30/04/2018
ACEITAR AS DORES - PARA RECORDAR
MENSAGEM DE UMA ALMA AO CLÁUDIO - 05/05/1998
 
 
 

ACEITAR AS DORES

 

Mensagem de uma Almas ao Cláudio

Dia 05/05/1998 as 6,30 horas (São José Benedito Cottolengo)

 

(Vejo milhares de almas do purgatório... de mãos estendidas, implorando socorro...)

 

Uma delas fala:

Por nossos próprios méritos jamais sairemos daqui. Ah! se todos vocês entendessem isto: Como é fácil pagar na terra, pelos erros que cometemos. Basta aceitar os sacrifícios, as dores, os percalços...  

DEUS misericordioso dá chances a todos sem exceção alguma, mas muitos não ouvem...e aqui não se pode fazer nada. Apenas esperar, esperar e esperar. A esperança se nos aflora, quando alguém daí lembra de algum de nós. E todos ficamos imensamente felizes quando qualquer um de nós é lembrado.  Todos, um dia, faremos parte de DEUS, e ELE “sente” a nossa falta para sua total “perfeição” (No sentido da alegria).

Estou aqui há anos. Jamais importava para mim a piedade, embora, às vezes rezasse. Importava era viver os momentos de alegria (Achava que era alegria), nas orgias, nas conversas sem sentido algum. Advertiam-me sim, mas não me importava. Hoje, necessito da ajuda de pessoas vivas pelas quais não me importei. Preciso do sacrifício dos outros, pela minha inércia; preciso de amor, pela minha indiferença. Preciso ardentemente de DEUS pelo meu descaso e negligência. Não sejam negligentes! Sofro mais por isto!

Na terra, somos todos responsáveis por alguém. E se não tomarmos por meta os entregarmos sãos e salvos ao PAI, pagaremos as responsabilidades e muitos pagarão ainda, se não tiverem tempo para isto. Estou feliz por estar aqui.  DEUS, na sua infinita misericórdia o permitiu, não por meu mérito, mas porque rezavam por mim.

Hoje tem alguém rezando por mim. Sinto então aproximar-se o dia do meu encontro com DEUS. É indescritível a ansiedade que se sente em ver DEUS. É também incrível entender agora o porquê de tanta indiferença na terra. Aceito as orações como as crianças aceitam balas. Corro atrás das orações, como os famintos atrás das migalhas de pão. Mas é difícil achar pão.

Obrigado pelo alimento que tendes me dado. Que DEUS vos recompense para que o pão terreno jamais falte em vossa casa.

Que DEUS os abençoe.

Uma Alma

 

 
 
Artigo Visto: 176 - Impresso: 3 - Enviado: 0
 

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.salvaialmas.com.br

 

Visitas Únicas Hoje: 485 - Total Visitas Únicas: 1787899 - Usuários Online: 53
Copyright 2015 - www.salvaialmas.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por: www.espacojames.com.br/sites