Newsletter
Receba nossos artigos diretamente no seu email.
Nome
Email
Cadastro manual: Entre em contato
 




 
 
18/03/2017
RELATÓRIO DO CENÁCULO DE SÃO JOSÉ
Marilene Heckert
 
 
 

Porto Belo, 18/03/2017

Capela Nossa Senhora de Sion

Santuário das Almas

 

Cenáculo de São José

 

Um dia agradável, uma brisa suave, um dia propício para meditar e conversar com Deus, conversar com São José.

O Cenáculo iniciaria as 14:00 horas, nossa equipe estava desfalcada, na verdade toda a equipe de comunicação não se fazia presente. Gilson Molleta, www.radioauxiliadora.com , teve imprevistos na viagem, e teve que retornar à Curitiba, Sirlene Marcelino, Joinville,  uma pequena cirurgia e oficina na Paroquia, Carlos Longo, Florianópolis,http://www,salvaialmas.com.br também teve contratempos, assim, todo o evento não pode ser passado ao vivo. Também Seu Sálvio, Blumenau, que sempre se fez presente em todos os encontros, hoje não se faria presente com sua esposa Esperança que faz parte da equipe de cantos, Lu de Curitiba, teria um material para nos enviar, cartazes e mensagens que sempre prepara com muito carinho e amor, o Diácono Luiz Quadros de Joinville também não pode se fazer presente já que em sua Paróquia estava em reunião de ministros... . Isto nos deixou meio apreensivos, como poderíamos fazer então uma festa a São José como ele merece?

A Capelinha estava linda, o Altar central com toalhas pérolas que caem até o chão, Maria Mãe do Universo no centro e dois pequenos vasinhos de calanchoe vermelho do lado da imagem, estes trazidos por Nivaldo e Ivonete de Jaraguá, na lateral um lindo arranjo de mine rosas também vermelhas oferecidos por Rosangela de Blumenau, nossa Mãezinha merece, afinal Ela é a mais bela das rosas.

O Altar de São José, também ficou lindo, uma toalha branca também o cobria até o chão, e sobre posto, um tecido de cetim cor de areia com um laço pérola no meio. No chão ao redor do altar, suportes de vime envolvidos em tules, sustentavam lírios brancos fazendo um semicírculo. São José estava ali, rodeado de flores artificiais, o que doía nosso coraçãozinho, queríamos mesmo que ele estivesse em meio a lindos lírios perfumados, ainda assim, sabíamos que Ele estava feliz, pois sendo puro e humilde, sabia do nosso coração também pobre e pequeno. Mas, para nossa felicidade, nosso encantamento, Silvia de Blumenau, chegou com um lindo vaso de lírios brancos que perfumou toda a Capela, colocamos aos pés do Grande Santo, logo em seguida chegou também Jucelda de Tijucas, com outro lindo vaso de lírios brancos, este com um arranjo exatamente nas cores do altar de São José, e um azul que quebrava um pouco a sobriedade das cores, deixando maravilhoso o ornamento.

Com Márli de Blumenau, preparávamos então uma maneira diferente de se rezar o Terço, procurávamos lembrar das alegrias deste Santo, já que nosso material não chegou. Mas também para nossa surpresa, a Dulce de Vidal Ramos, nos trouxe um folheto com as sete alegrias e sete

tristezas de São José, nossa; justamente o que estávamos preparando, o Céu é sempre conosco. Logo chegou também o Valmir, nosso amigo e músico de São José, que a muito não podia vir pois estava deveras doente, nosso coração crescia, e então já chorávamos... Assim, de surpresas em surpresas, nosso dia foi ficando mais bonito.

O início deu-se as 14:15 horas, com o terço do Espírito Santo conduzido por Anselma de Blumenau, Terço da Misericórdia conduzido por Dulce de Vidal Ramos, e a animação pelos músicos, Nivaldo de Jaraguá, Valmir de São José, SC, e Arnaldo, Vidal Ramos na gaita de boca, também Ivonete Jaraguá e Marilene, Porto Belo.

Fizemos uma pequena acolhida a todos, colocamos nossas intenções, e de uma maneira muito especial recebemos o Valmir, agradecendo assim a Deus por ouvir nossas súplicas e trazê-lo de volta, ainda que convalescendo.

Silvia leu então um relato da vida de São José, o que emocionou a muitos, visto que a própria Silvia também se emocionava conforme ia contando a vida deste Santo. É incrível, como achamos que conhecemos São José, e ai vem mais novidades e a possibilidade de nos tornarmos mais íntimos e mais santos.

Depois Cláudio, também fala um pouco sobre suas experiências com São José, e de sua intimidade desde a juventude com este, que é também o grande intercessor desta família e deste Movimento, Salvai Almas. Cláudio nos mostra o grande milagre da escada de São José na Itália, uma escada feita com trinta e três degraus, sem suporte, sem pregos, sem parafusos e que nenhum arquiteto, nenhum marceneiro, e nenhuma ciência consegue explicar como assim procede, só mesmo o Céu, só mesmo o Santo Carpinteiro para fazer tão grande obra.

Logo iniciamos então o tercinho do Valei-me São José! Um terço pequenino, onde nas contas grandes rezamos: Meu glorioso São José, no vosso maior vexame, na vossa maior dor, um Anjo do Senhor não vos veio falar? Valei-me glorioso São José. Enquanto nas dez contas pequenas fizemos em dois coros: São José, valei-me! Depois então a coroa de glórias a São José que foi conduzida por Melânia de Joinville, e também as sete alegrias e sete tristezas, conduzidas por Alair de São Paulo, tudo com muitos cânticos e louvores a este Santo e a nossa Mãezinha que sempre nos acompanha.

A medida que as horas passavam nosso coração crescia e crescia, tamanha alegria e entusiasmo das pessoas, eram orações vindas do fundo de cada coração, os cânticos entoavam e pareciam fazer a Capela tremer, todo o céu estava ali, não tínhamos duvidas, era o coro dos anjos, unindo-se as Igrejas Militante, Padecente e glorificada. Maravilhoso Deus, que tudo prove e nada deixa faltar, como pode; seres como nós tão pequenos e frágeis receber este presente tão magnífico do céu.

A Mãe se faz presente, convida Anselma e Fêde (Frida) de Blumenau, para abençoar os objetos, quanta beleza nestas pessoinhas tão puras e frágeis, também convida Anna para abençoar o povo, e sai pelos corredores da Capela com as três irmãs a abençoar as pessoas, as orações se misturavam aos cânticos e lágrimas de alegria, de surpresa e de cura, tamanho o poder que se sentia neste momento. O olhar das pessoas, o semblante, tudo mudou, tudo era Céu!

E Mamãe se apresenta então, Cláudio cai de joelhos, levanta as mãos ao Céu e recebe as bênçãos e o carinho da Mãe das Mães, incrível, Mãe e esposa de São José, o Pai humilde, glorioso e puro. Os vivas são para a Mãe, são para São José, são para toda a Igreja Glorificada. Os louvores, a alegria, a festa, o momento é deles, mas é também nosso! Incrível!

Na mensagem Nossa Mãezinha agradece o carinho de todos, e nos fala que São José foi sempre Seu escudeiro, que a protegeu das pedradas, que a carregou no colo e que ainda hoje nos quer carregar no colo como fez com Maria e Seu Divino Filho.

São José nos dá apenas um breve recado, mas repleto de amor: “Eu não tive só um filho, eu tenho todos vós, acaso não sois irmãozinhos de Jesus? Eu tenho tanto orgulho de ser vosso Papai!”

Encerramos com o cântico o Amor é Lindo e a benção feita pelo Cláudio.

Assim, foi nosso encontro, repleto de surpresas e emoções.

Obrigada Mãe, obrigada São José, obrigada meu doce Jesus!

 

Marilene Aparecida Heckert

Salvai Almas

 

 
 
Artigo Visto: 423 - Impresso: 29 - Enviado: 27
 

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.salvaialmas.com.br

 

Visitas Únicas Hoje: 79 - Total Visitas Únicas: 1616334 - Usuários Online: 40
Copyright 2015 - www.salvaialmas.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por: www.espacojames.com.br/sites