salvaialmas




O inferno existe.
<< Voltar






13/10/2013
Sobre o pecado
O pecado é o pior mal do mundo



SOBRE O PECADO

 

Pensa bem, pecador. O pecado é o pior mal do mundo. Pelo pecado tu te rebelas e revoltas contra Deus. Tratas a Deus por inimigo e escolhes Satanás por amigo. Negas a Deus o direito que Ele tem de ser respeitado e obedecido. Arrancas-lhe a coroa de Soberano do Universo e pisas nela com os pés. Levantas a mão e ousas esbofeteá-lo. Atiras contra ele setas mortais e novamente o crucificas, como dizem as Santas Letras (Bíblia Sagrada). Que maior mal, que maior injúria!

Todo pecador vive em guerra contra Deus, aliciado e alistado nas bandeiras de Satanás. Pela má vida e más obras está continuamente dizendo a Deus: Aparta-te de mim – sou do Diabo. Não quero te servir, nem amar, nem sequer conhecer-te. Não te reconheço como meu criador nem como meu Deus. Meu Deus são as minhas paixões, os meus interesses e as minhas riquezas. Meu Deus é o Demônio. Possível mais profunda ingratidão, maior desatino? O ser humano, criado, conservado e  favorecido por Deus, rebelar-se contra Deus, optando por desprezá-lo, ofendê-lo e até guerrear contra ele!

Deus diz ao homem: Eu sou o teu Deus. Eu te criei à minha imagem e semelhança, te criei para o céu, te remi – isto é, paguei tua libertação – com o meu Sangue, para que possas conseguir a bem-aventurança eterna, com a condição de observares a minha Lei, minha Vontade. — De sua parte, diz o homem com suas obras: Não quero a tua Lei! Não quero deixar minhas inclinações, nem restituir o bem alheio, nem me reconciliar com meu irmão, nem confessar aquele pecado, nem deixar aquela amizade, nem minhas conversas... Faço questão de seguir minhas paixões. Prefiro minhas vontades. Pouco me importa a tua Lei. Tu queres, mas eu não quero. E basta...

 Que temeridade! Que atrevimento! Minúscula criatura querer valer mais que Deus! Queres assim zombar de Deus? Suportará Deus tanta ingratidão sem o devido castigo? Pecador atrevido: rigoroso Juízo te espera. Quanto melhor seria se, com lágrimas e verdadeiro arrependimento pedisses perdão. Pecado é insulto a Deus, perda da amizade divina, escravidão ao demônio, privação do merecimento de todas as boas obras praticadas na vida. Quando pecas gravemente, desperdiças todo o bem que praticaste na vida, todas as confissões e comunhões, todas as Santas Missas e orações, todos os jejuns, esmolas e penitências. Se morreres nesse lastimável estado, tudo fica esquecido de Deus, inutilizado, imprestável no instante do Julgamento Supremo! Tão roubado e tão pobre ficas, como se nunca tivesses rezado uma Ave-Maria sequer na vida! Quanto estrago e prejuízo faz na alma um só pecado mortal! Num momento se perde tudo quanto se havia lucrado a vida inteira, em vinte anos, cinquenta anos ou mais. 

Além de todos os males citados, o pecado rouba a verdadeira paz interior, causa inquietação interior, medo e tormento de espírito. Toda pessoa que convive com pecado grave, nada absolutamente nada merece, ainda que continue fazendo todas as boas obras que tenham feito todos os santos, no passar dos séculos! O pecado obscurece e cega o entendimento do pecador, mergulhado no abismo não consegue perceber as coisas espirituais. O pecado endurece o coração e o torna tão perverso que, muitas vezes, nem os benefícios abrandam-no, nem as ameaças espantam-no, nem os bons conselhos e bons exemplos convencem-no a se emendar. Pecado não detestado traz consigo maiores pecados e arrasta a alma de mal a pior, até precipitá-la no inferno. É tal a desordem do pecado, que causa doenças, encurta a vida, empobrece famílias, separa esposos, provoca terremotos, pestes, fomes, guerras e outros males no mundo. Foi o pecado – só um pecado! – que transformou em demônios milhões de anjos, que, de estrelas no Céu, foram reduzidos a carvões no inferno. Foi o pecado – só um pecado! – que expulsou do paraíso Adão e Eva com todos os descendentes, que somos nós. Foi o pecado – quantos pecados? – que provocou o dilúvio, que tragou a população da terra, menos oito pessoas; fez chover fogo e enxofre sobre as cidades infames, onde tudo também pereceu, menos três ou quatro pessoas; assolou de pragas a nação egípcia e teria destruído toda a grande Nínive, caso não se tivessem arrependido e convertido. (Livro de Jonas) Mal tão grande é o pecado e nódoa tão repugnante provoca, que nem as lágrimas de todos os habitantes do mundo, mesmo que formassem um oceano desde a terra até o céu, seriam capazes de eliminá-lo.

 E tu, pecador, acaso tens chorado os pecados que tantas vezes horrorosamente manchou tua alma? Como podes continuar despreocupado, rindo, divertindo-te, entregue às delícias da vida? Desengana-te dessa ilusão em que vives agora. Arrepende-te, enquanto tens para te purificares o Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, que tem poder de te livrar do inferno, onde será totalmente inútil todo pranto e lamento.

 Deixa, pois, o pecado, monstro horrível, desacato a Deus, desprezo de Deus, morte da virtude, perda da felicidade eterna, veneno do demônio, e finalmente cadeia do inferno. Quebra, agora mesmo, essa cadeia, essa algema, se não queres ser arrastado ao inferno. Há de ser já, senão nunca será quebrada, nunca. Porque, se agora tens tanta dificuldade, mais tarde impossível será! Quanto mais demorares, mais te afastarás de Deus, mais pecarás, maiores dificuldades e embaraços surgirão, mais impedimentos se oporão à divina graça, até que Deus, esgotada a sua misericórdia, te desamparará e o abandonará. E terás o inferno eterno, sem remédio…

 Infeliz, a caminho da desgraça, volta já para Deus, enquanto Ele te chama e convida para a penitência. Ele está pronto a te perdoar - não continues a fugir e abusar de sua misericórdia. Como nada podes sem a graça de Deus, recorre à Mãe da divina Graça, a Santíssima Virgem Maria, e ela te ajudará.

( Fonte: www.mariafala.org )

 

 


Artigo Visto: 2926

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.salvaialmas.com.br